Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ENTENDA OS FENÔMENOS GLOBAIS DO CLIMA

                                  ENTENDA OS FENÔMENOS GLOBAIS DO CLIMA 


                 A irresponsabilidade como estamos tratando nosso planeta tem resultado em tsunamis, furacões, chuvas em excesso em alguns lugares e secas em outros, nevascas intensas, calor intenso e outros fenômenos que se intensificam a cada dia.  
É preciso compreender  que existem fenômenos naturais que atuam  em todo o planeta. 
Acredito que todos, ou quase todos, já ouviram falar do EL NIÑO e da LA NIÑA. São os principais fenômenos que atuam sobre a nossa mãe Terra. 
                                                                  EL NIÑO   
                  É o nome dado ao fenômeno que ocorre eventualmente nas águas do Oceano Pacífico, em que a temperatura superficial do oceano aumenta, criando alterações significativas no clima, no regime de chuvas e até na psicosidade (ocorrência de peixes) das áreas litorâneas. Esse nome "El Niño" vem do espanhol e quer dizer Jesus Menino porque sua ocorrência é mais comum quando estamos próximos do Natal.  Junto com o EL NIÑO acontece um outro componente atmosférico conhecido como Oscilação do Sul. É a diferença de pressão do ar entre os lados leste e oeste do Pacífico que aumenta ou diminui. Nos anos de  EL NIÑO a pressão na região do oceano perto da Indonésia fica anormalmente alta, enquanto do lado oposto fica muito baixa. 
Com o EL NIÑO os ventos chamados ventos alísios -que ocorrem o ano todo nas regiões  tropicais- diminuem de intensidade, podendo em alguns casos, até mudar de sentido. A faixa de água quente se estende agora por uma faixa maior do oceano, podendo superar em 5° centígrados a temperatura normal próxima à América do Sul, enquanto desaquece à oeste. 
A mudança de temperatura no oceano espalha a água quente pela área equatorial do Pacífico. Com isso, a corrente fria de fundo deixa  ou diminui o ritmo de substituição na costa sul-americana, diminuindo também a ocorrência de ressurgência -afloração de águas mais profundas que sobem à superfície-. O aumento da evaporação na área central do Pacífico desloca para oeste a "Célula de Walker" - circulação no plano vertical oeste-leste. O ar descendente, que antes atingia a costa do continente, passa a atuar mais a leste, provocando estiagem na Amazônia e, dependendo da intensidade, no Nordeste do Brasil. 
                                                                    LA NIÑA 
               É essencialmente o oposto do El Niño. Os ventos que sopram do oeste do Pacífico ficam ainda mais fortes que o normal. A água quente é empurrada para mais próximo ainda da Austrália e da Indonésia.  Com isso, uma faixa muito maior de água fria, que em condições normais se concentra perto da América  do Sul, se estende ao longo de toda a região equatorial do oceano. Assim como sua contraparte masculina, o fenômeno  cria alterações no clima global. Geralmente está associado a menos umidade na costa das Américas do Sul e do Norte e ao aumento no número de tempestades tropicais no oceano Atlântico. A intensidade dos ventos alísios aumenta. A água quente se desloca ainda mais para oeste, até perto da Linha Internacional de Data -linha imaginária na superfície terrestre, criando uma grande faixa de baixa temperatura ao longo da região equatorial. Na costa da América do Sul, a água pode ficar 4° centígrados mais fria. 
Por causa da intensificação do deslocamento da água quente, uma faixa maior de água fria aflora próxima à costa sul-americana, aumentando o fenômeno da ressurgência. 
A "Célula de Walker" continua agindo como em condições normais, mas com muito mais intensidade. 
SITUAÇÃO NORMAL 
                 Os ventos alísios, predominantes na região, sopram da América do Sul para oeste, empurrando a água quente superficial, que se acumula próxima à Austrália e à Indonésia. 
Com a concentração da água aquecida no oeste do Pacífico, a água fria, mais profunda, se desloca em direção ao leste, aflorando perto da costa sul-americana. 
A mesma concentração de calor oceânica cria uma circulação conhecido como "Célula de Walker", sobre a Austrália e Indonésia formando-se grandes nuvens verticais, e o fluxo de ar segue em altitude até descer próximo à costa da América do Sul. 
DICIONÁRIO 
                Ventos Elísios - são ventos que ocorrem o ano todo nas regiões tropicais. 
Célula de Walker - circulação do vento no plano vertical (oeste-leste).
Ressurgência - afloramento da água que estava no fundo ou na parte intermediária dos oceanos. 
psicosidade - as águas, dependendo da temperatura, podem dar maior ou menor ocorrência de peixes. 
Linha Internacional de Data - linha imaginária na superfície terrestre. 
Nicéas Romeo Zanchett

LEIA TAMBÉM CONTOS E FÁBULAS DO ROMEO

Nenhum comentário:

Postar um comentário