Total de visualizações de página

domingo, 10 de fevereiro de 2013

SAMBA - RÍTMO AFRO-BRASILEIRO

                                 SAMBA - RÍTMO AFRO-BRASILEIRO 
O samba é uma dança de origem africana, cantada a compasso binário e acompanhamento sincopado; Tem composição musical própria para a dança. 
A etimologia da palavra samba é controvertida, havendo várias versões: a que lhe atribui a origem tupi, significando "cadeia feita de mãos dadas; a que consigna a existência da palavra em dialetos africanos com o significado  de "culto através da dança"  e ainda outra que a deriva da maçumba, instrumento africano em forma de chocalho ou maracá. 
O samba teve ainda um significado mais lato, estendendo-se à acepção de qualquer baile popular. 
Batuque é a denominação genérica para baile africano que o Rei D.Manuel proibiu nas primeiras décadas do século XVI. 

No Rio de Janeiro, para o tipo de samba característico dos morros da cidade, é comum designar-se batucada. Segundo Luiz Câmara Cascudo, com a designação samba, não se conhece dança africana  e não há nenhum registro durante o século XIX. 
O samba carioca, canção popularesca com forma urbana, foi transplantado da Bahia no princípio do século XX. Antes de se requintar através da dança social que lhe corresponde, surgiu nos primeiros redutos de descendetes africanos que viviam nas proximidades da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, com as baianas vindas da guerra de Canudos, que se fixaram no morro da favela. Era também praticado na casa da "tia Ciata" na Rua Visconde de Itaúna, 117, centro do Rio, onde se reuniam sambistas e macunbeiros de então. 

No Peru, Chile, Argentina e em outros lugares existe um similar chamado zamba, porém os tratadistas  daqueles países sempre negaram qualquer identidade com o nosso samba.  Até 1917, a palavra samba era usada para indicar agrupamento de pessoas ou mesmo festa. Segundo "Almirante", naquela data surgiu pela primeira vez, numa música impressa de composição de Donga, "Pelo Telefone", marcando o nascimento de um nôvo rítmo para o carnaval. Devido a receio de  preconceitos, os próprios compositodres da época ainda titubeavam  quanto à denominação a serem dadas à suas composições. 
Por volta de 1920, pensava-se que o samba servia para denominar  qualquer música carnavalesca. Aí por volta de 1922, comessaram a originar-se os ranchos carnavalescos e o samba foi sendo cultivado pelas fabulosas escolas de arte. 

Ao contrário do que muita gente pensa, o samba não nasceu no morro. Os primeiros sambistas: Sinhô, Caninha, Donga, Pixinguinha e os mais recentes como Noel Rosa, Lamartine Babo, Ari Barroso, e outros, são da cidade baixa. 
Nos nossos dias , o samba já é exportado para diversos países e seu ponto alto é o carnaval carioca com responsabilidade das escolas de samba, cujos componentes entre homens e mulheres vão à mais de duas mil pessoas por escola, todos cantando e dançando com rítmo harmonioso e original que faz o público, sempre presente aos milhares, amanhecer o dia numa euforia de contentamento e gosto. 

Falando sobre o papel das escolas de samba no carnaval, um reporte estrangeiro assim o definiu: "O carnaval carioca é a maior festa popular do mundo e o desfile das escolas de samba o maior espetáculo de carnaval". 
Ainda hoje, muitos observadores preconceituosos, consideram a dança do samba como um divertimento muito sensual e até obsceno, cujas pantomimas revelam aos espectadores  os desejos ocultos dos pares dançantes. 
                                   Desenhos ilustrativos de Romeo Zanchett

O samba como rítmo se tornou o mais popular e o mais praticado no Brasil. É exportado e apreciado em todo o mundo. 
Nicéas Romeo Zanchett 
http://gotasdeculturauniversal.blogspot.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário